Conecte-se com a gente

O Espetacular Homem-Aranha | Crítica

Críticas

O Espetacular Homem-Aranha | Crítica

A animação “O Espetacular Homem-Aranha” nos apresenta à adaptação mais pé no chão do personagem.

O Espetacular Homem-Aranha não se preocupa em recontar a história de origem do aracnídeo, pois todos os espectadores devem estar familiarizados com ela. A animação optou apenas por uma breve recapitulação em seu primeiro episódio. A série animada nos mostra um Peter Parker no colegial, aos 16 anos de idade, que recentemente adquiriu seus poderes, por meio da picada de uma aranha geneticamente modificada. Em segredo, Parker protege Nova York de uma variedade de vilões, com uma roupa vermelha e azul, sob o nome de Homem-Aranha no Colégio Midtown Manhattan Magnet, vemos Peter com seus dois melhores amigos: Harry Osborn e Gwen Stacy, além de grandes atletas, como Flash Thompson, e líderes de torcidas, como Liz Allan. Como já mostrado na primeira trilogia do Sam Raimi, a vida de Peter é estudar, ajudar sua tia May com as dívidas e salvar Nova York antes do seu toque de recolher imposto pela viúva: 22h, mostrado logo nos primeiros capítulos da animação.

Essa série me encantou em todos os aspectos. Ótima animação, locais importantes da cidade são retratados com muita fidelidade e os fictícios se encaixam perfeitamente na trama. O estilo e o visual são atraentes: um toque de cartoon com cores quentes, personagens de olhos grandes que transbordam humanidade e não os tornam meros peões com o decorrer da história. Às vezes, senti que tia May parecia ser uma mulher jovem com peruca, mas era apenas a aparência, pois sua linguagem refletia o ar de uma mulher idosa.

O enredo é excelente. Explora os mais de 50 anos de HQs com a primeira trilogia e transforma a animação em algo , de fato, espetacular. O ritmo é lento, mas nem tanto para uma temporada de 13 episódios. Todos os acontecimentos estiveram na dose certa considerando tudo apresentado nessa temporada; e arcos desenvolvidos foram resolvidos ao longo dos episódios, nada fora esquecido. Fomos apresentados a algumas questões adolescentes comuns, um pouco suavizadas, e com mais tecnologia (por exemplo, e-mails e mensagens de texto). O humor é ótimo e podemos ver através da animação os gracejos de ação do Homem-Aranha, pesando sua personalidade e inteligência para vencer os vilões.

As caracterizações dos personagens são ótimas e teve até algumas semelhanças com os filmes anteriores, mas houve exceções notáveis como Gwen Stacy e Mary Jane Watson. Stacy fez sua estreia no cinema apenas em Homem-Aranha 3, e na animação esteve presente desde o primeiro episódio. Já Mary Jane esteve presente em toda trilogia, mas sua primeira aparição na série foi ao final do sexto episódio. Assim como nos quadrinhos, antes de aparecer, houve menções à personagem e só mais tarde ela apareceu. Além disso, Harry é totalmente diferente dos filmes e Eddie Brock é mais parecido com os quadrinhos. Além dos mocinhos, também temos os vilões como o Duende Verde e o Dr. Octopus, que foram apresentados nas duas primeiras adaptações para o cinema. Abutre, Electro, Lagarto, Rino, Shocker e entre outros também apareceram na série, e cada episódio nos apresenta um vilão, assim como nos quadrinhos.

Tendo como início do ano letivo o mês de agosto, tivemos episódios cobrindo grandes datas como Halloween (Dia das Bruxas) e o Dia de Ação de Graças.

Os nomes dos episódios são nomeados conforme conceitos de uma determinada área da ciência. Os três primeiros episódios recebem nomes a partir de noções da Biologia, os próximos de Economia, os três seguintes de Química e os quatro últimos da Psicologia.

Nos três primeiros episódios (Sobrevivência do Mais Forte; Interações e Seleção Natural), vemos Peter começar seu ano letivo em um estágio não remunerado no laboratório do Dr. Connors, o que frusta Peter, pois as dívidas em casa só se acumulam e ele se sente na obrigação de ajudar tia May. Como Homem-Aranha, ele protege o pai do seu melhor amigo, Dr. Osborn, que roubou o projeto de voo de um cientista, o vilão conhecido como Abutre. Posteriormente, seu professor de biologia entrega a primeira prova de biologia feita pela turma e a líder de torcida Liz Allan recebe recomendação para ter aulas com Peter, para que a sua nota na matéria possa aumentar. No estágio, um acidente com enguias geneticamente modificadas faz que um funcionário do laboratório vire Electro e Peter começa a fotografar a si mesmo como Homem-Aranha para vender suas fotos para o Clarim Diário, e assim poder ajudar sua tia. O dono do laboratório onde Peter estagia com a sua melhor amiga Gwen, regenera com sucesso seu braço amputado através de um soro de bioforma de DNA de réptil, mas logo se transforma em um monstruoso Lagarto, o que rende algumas fotos para o Peter, mas sua demissão do estágio.

Nos próximos 3 episódios (Forças do Mercado; Competição e A Mão Invisível), Peter recebe seu primeiro cheque de pagamento do Clarim Diário, onde acaba conhecendo Betty Brant, negligenciando ajuda em cálculo para seu melhor amigo Harry e tendo uma disputa com o vilão Shocker. Após a confusão com Harry se resolver, ambos fazem testes para o time de futebol do colégio, no qual Harry acaba conseguindo a vaga, enquanto o Spidey enfrenta um novo vilão, o Homem-Areia, e, mais para frente, o Rino, que foi criado em laboratório.

A Química, que sempre esteve presente na vida de Peter devido à criação de suas teias, acaba por inspirar os nomes dos três próximos episódios (Catalisadores; Reação e Princípio da Incerteza). Temos a primeira aparição do vilão Duende Verde; Dr. Octopus fica determinado a acabar com o Homem-Aranha após, quase matar Norman Osborn, que foi salvo pelo Spidey. Gwen começa a notar algumas mudanças no comportamento de Harry e isso a deixa cada vez mais preocupada com o amigo, o que a leva a pedir ajuda para Peter, mas ele sempre acaba adiando a ajuda devido aos deveres como Homem-Aranha, que, em um certo ponto, fica cada vez mais próximo de identificar quem é o Duende Verde. O Halloween é um tema explorado no nono episódio, onde vemos Peter sem a máscara de Aranha com a desculpa de ser a sua fantasia para o Dia das Bruxas, além de um meteoro complicar a missão espacial do filho astronauta de J. Jonah Jameson.

Com a trama se aproximando do final de sua primeira temporada, nos quatro e últimos episódios (Mulher-Gato; Terapia em Grupo; Intervenção e Natureza contra Criação) temos grandes reviravoltas para a história. Uma espécie de vida alienígena trazida pela equipe do filho de J. Jonah Jameson após voltar à Terra, desperta a curiosidade de todos, inclusive de Peter, que, em uma tentativa de ver a “simbiose” e de salvá-la das garras da Mulher-Gato, acaba fazendo a mesma se aderir ao seu traje, lhe conferindo uma cor preta, super força e melhorias em seus poderes. Na cadeia, onde estão os vilões presos com a ajuda de Homem-Aranha, Electro ajuda Dr. Octopus, Rino, Homem-Areia e Abutre a fugirem da prisão e, junto com o Shocker, formam o Sexteto Sinistro, que enfrenta o Homem-Aranha em sua versão alienígena simbiótica. Em um evento, Tia May sofre um infarto e vai parar no hospital, fazendo Peter ter flashbacks do dia em que ganhou seus poderes, incluindo uma visão do seu falecido tio Ben. Após se livrar da simbiose, esta se adere ao corpo de Eddie, e o então Venom atormenta a vida de Peter, tendo como alvo o Homem-Aranha e seus entes queridos no Dia de Ação de Graças.

Assim, a primeira temporada de O Espetacular Homem-Aranha não deixa a desejar, transmitindo diversão e também os desafios diários de um super-herói que de dia luta com valentões no colégio, e à noite se torna vigilante na grande Nova York. A animação deve agradar não só os fãs do aracnídeo e demais produções da Marvel, mas também todos que curtiram as histórias em quadrinhos e filmes anteriores do Homem-Aranha.

Comentários

Mais em Críticas

Facebook

Categorias

Postagens Populares

Twitter

Procurando por algo?

Status

Nome: Diário do Graal
Desde: agosto de 2018
Online:
Hits:

Arquivos

Topo